Dia 30

trophy

Quarta-feira, 4 de novembro de 2009. Último dia do meu desafio. Tudo bem, venci. E agora?

O meu peso não mudou muito durante este tempo, estou hoje com 69.7kg (153.7 libras), porém creio que meu rosto parece melhor. Todos sabem que o álcool deixa a gente inchado. Uma amiga disse que eu pareço mais magro, o que reforça esta teoria, já que não perdi peso.

Tomei algumas decisões em relação à bebida. Quero beber somente às quintas-feiras, sextas e sábados. Ou seja, no máximo 3 vezes por semana, o que não quer dizer que beberei por 3 dias em todas as semanas. Caso eu beba num dia excepcional, descontarei na mesma semana (por exemplo, deixarei de beber na sexta). Mas isto é apenas um plano.

Para os que bebem frequentemente e ACHAM que está tudo sob controle, sugiro que faça um desafio parecido. Se acha que 30 dias é muito, tente uma ou duas semanas. Tem certeza que consegue? Não precisa me responder, apenas faça esta pergunta a si mesmo.

Para os que nunca beberam, posso dizer que álcool é uma droga agradável e socialmente tolerada (e até estimulada), mas se resolver usá-lo, vai precisar aprender a controlar isto, coisa que muita gente não consegue. Precisa de RESPONSABILIDADE. Se vê que não consegue, desista.

Ainda para os “novatos”, segue um desenho do site Savage Chickens sobre o assunto. Logo em seguida, reproduzo o diálogo traduzido por mim para português.

chickenlegal

– Feliz aniversário!
– Oba! Agora já tenho idade legal para beber!
– Sim, você está também na idade legal para LIMPAR SEU PRÓPRIO VÔMITO.

Obrigado a todos que me apoiaram no meu desafio e agora compartilham do prazer desta conquista!

Published in: on novembro 6, 2009 at 11:37 am  Comments (5)  

Dia 29

Jack-Daniels-Tennessee-Whiskey-lg.jpg

Acordei com dores musculares e garganta inflamada e outros sintomas que parecem ser gripe. Ou algum outro vírus. Pelo menos não tive sintomas de gripe suína, então tentei me alimentar o melhor possível e beber bastante água.

Ganhei uma garrafa do meu whiskey preferido, Jack Daniels, o tradicional “Velho número 7”. Pelo jeito esta vai durar bem mais que as outras, já que o meu ritmo de beber será drasticamente mais lento. Mas será um prazer degustar e sentir o perfume deste líquido novamente, agora com moderação adequada.

Com 1 dia apenas faltando para a data-limite, parece que todas as pessoas que duvidavam do meu sucesso já aceitaram a minha vitória. Creio que a baixa quantidade de visitas ao blog nos últimos dias reflete isto.

 

Published in: on novembro 4, 2009 at 9:18 am  Comments (1)  

Dia 28

mango-juice

Um passeio pela Avenida Paulista com Vagner e Pablo, muitas piadinhas, café, livrarias e conversas sobre diversos assuntos. Um verdadeiro “Sex In The City” masculino, finalizado com um bom suco de manga e um filme não tão bom, “O Homem da Pele de Tubarão e a Garota dos Quadris de Pêssego“. Começou bem mas se desenvolveu e terminou mal. Não recomendo.

Faltam 2 dias!

 

Samehada otoko to momojiri onna

Published in: on novembro 3, 2009 at 6:59 am  Deixe um comentário  

Dia 27

christian-daiquiri

Enquanto me divertia procurando este blog no Google encontrei acidentalmente o blog de um cara que eu considerei estar fazendo exatamente o oposto de mim. O nome dele é Christian e ele estava prestes a completar 30 anos sem nunca ter bebido, e resolveu passar 30 dias bebendo para descobrir o que há por trás desta história de beber que tanto mexe com as pessoas. Na verdade ele não bebeu todos os dias, mas experimentou uma grande variedade de tipos diferentes. O blog é 30 Days Of Drinking.

Curiosamente, as experiências que ele teve foram muito similares, por exemplo a preocupação com a reação dos amigos e familiares em relação à sua decisão. Achei muito interessante fazer uma comparação entre nossas experiências.

A foto acima é do dia 5 do blog dele. Segundo ele é assim que ele se sentiu quando bebeu daiquiri.

Published in: on novembro 3, 2009 at 5:31 am  Deixe um comentário  

Dia 26

Double Take_Poster2

Fui com Pablo assistir a mais um filme da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. O escolhido do dia foi “Double Take” (recuso-me a usar o título que deram em português por achar completamente sem sentido, como acontece com diversos filmes no Brasil), do Johan Grimonprez. É uma confusão interessante de relatos do Alfred Hitchcock sobre um encontro com seu sósia, teorias de conspiração, a Guerra Fria e Fidel Castro. Durante o filme achei algumas partes um pouco chatas, mas depois de algumas horas destilando as cenas achei genial e recomendo.

Mas o que isto tem a ver com álcool? Bem, eu já falei aqui que no cinema eu não bebo.

Mais tarde, à noite, juntaram-se a nós a Marcita e o Vagner e fomos assistir a um jazz agradável no JazzNosFundos. É um lugar bastante agradável nos fundos de um estacionamento, em São Paulo. A noite estava muito quente e meu estômago reclamou da coca-cola e do suco de tomate temperado que tomei, além do que me cobraram mais pelo suco de tomate do que custaria uma dose de whisky (não tinha o item no cardápio, então resolveram me cobrar como se fosse um Bloody Mary). Então resolvi beber algo diferente, e provei a Erdinger sem álcool. Eu havia decidido não beber mais cerveja sem álcool mas dentre as opções que eu tinha, foi a melhor escolha. Depois dela, mudei minha opinião em relação a este tipo de cerveja. É realmente muito boa. Olha ela aí:

alkoholfrei

Published in: on novembro 1, 2009 at 12:21 pm  Deixe um comentário  

Dia 25

beertower

Sexta-feira, ensaio da banda. Depois fomos a um bar perto do estúdio. Eles pediram uma torre de chopp e eu fiquei só assistindo e ingerindo a grande quantidade de açúcar presente nos refrigerantes.

Published in: on novembro 1, 2009 at 11:51 am  Deixe um comentário  

Dia 24

Spain-Camino-de-Santiago-608

A imagem acima mostra uma das placas indicativas do Caminho de Santiago. Ao passar por ele, o peregrino vive situações que o faz repensar suas atitudes e sua opinião a respeito da vida.

Ele aprende a viver de modo simples, com poucos bens materiais, e precisa abdicar do conforto que está acostumado a ter no seu dia-a-dia.

Ao voltar de uma experiência destas, certamente ele não passará a viver sob condições de tão extrema simplicidade, mas definitivamente ele estará mudado para sempre.

Durante este período eu precisei aprender a viver sem uma coisa que já fazia parte da minha rotina. A lição que aprendi definitivamente mudou algo em mim. Não preciso parar de beber definitivamente, e tenho hoje mais noção do que o álcool representa pra mim.

Published in: on outubro 31, 2009 at 11:56 am  Deixe um comentário  

Dia 23

manet34

Que tipo de bebedor é você?

Hoje em dia é muito fácil obter informações sobre a nossa saúde. Antigamente precisávamos confiar 100% no nosso médico. Às vezes poderíamos consultar um outro para obter uma segunda opinião. Hoje já podemos pelo menos consultar portais de saúde para tirar dúvidas sobre doenças e sintomas.

Uma fonte que sempre uso é o Portal de Saúde do Yahoo (em inglês). Destaco abaixo alguns trechos do tópico sobre abuso e dependência do álcool.

Sintomas de abuso (uso exagerado):

  • Ter problemas na escola ou trabalho devido à bebida
  • Beber em situações perigosas, como dirigir carro ou operar máquinas
  • Ocorrência de blackouts – no dia seguinte você não lembra do que aconteceu enquanto estava bebendo
  • Ter tido algum problema legal, como ser preso por agredir alguém ou infringir a lei
  • Machucar-se ou machucar alguém enquanto estava bêbado
  • Continuar bebendo mesmo após o aparecimento de algum problema de saúde relacionado ao consumo de álcool
  • Família e amigos preocupados com seu estilo de beber

Sintomas de dependência:

  • Não conseguir parar de beber ou controlar a quantidade ingerida
  • Beber mais para conseguir o mesmo efeito
  • Ter sintomas de abstinência ao parar de beber
  • Gastar muito tempo bebendo ou se recuperando da bebedeira ou ter desistido de alguma atividade pra ter mais tempo de beber
  • Ter tentado sem sucesso diminuir ou parar de beber
  • Continuar bebendo mesmo afetando o relacionamento ou causando problemas físicos
  • Beber pela manhã ou beber sozinho
  • Sentir culpa por beber
  • Encontrar desculpas para beber
  • Ter alguma evidência física como gastrite, tremores, cirrose,  impotência sexual, pressão alta, pancreatite, danos ao sistema nervoso

A imagem acima é a pintura “Bebedor de Absinto”, de Édouard Manet. O Absinto é uma bebida de teor alcoólico altíssimo e que hoje é proibida em vários países. Alguns artistas que gostavam de tomá-la resolveram representar a bebida em sua arte. Além do Manet, o Edgar Degas e o Pablo Picasso também pintaram “Bebedores de Absinto”.

Published in: on outubro 29, 2009 at 2:13 pm  Deixe um comentário  

Dia 22

Watermelon

Depois de um dia exaustivo de trabalho e um agradável treino de Kung Fu as únicas bebidas que eu quero são suco de melancia e ÁGUA.

Meu peso hoje: 68.7kg (151.4 libras). Isto quer dizer que perdi quase 2 quilos (4.4 libras) em 22 dias. Não tenho certeza se tem algo a ver com a falta do álcool. Quem sabe…

Published in: on outubro 27, 2009 at 11:16 pm  Deixe um comentário  

Dia 21

men_at_work_sign

Trabalho, trabalho, trabalho. Segunda-feira ultra-ocupada. Tem sido difícil encontrar inspiração e tempo pra escrever sobre álcool ultimamente. Muitas coisas têm acontecido, mas pra dizer a verdade parece que o álcool saiu mesmo do meu dia-a-dia. Não lamento ver pessoas bebendo.

Estive pensando novamente em como serão os dias seguintes ao final do meu desafio. Quero apreciar uma boa cerveja gelada. Provavelmente uma Hoegaarden. Ou duas.

Published in: on outubro 27, 2009 at 10:09 pm  Deixe um comentário  

Dia 20

Dia 20, um domingo quente. Passei o dia organizando minhas coisas e fazendo backup. Sem novidades.

Published in: on outubro 27, 2009 at 9:50 pm  Deixe um comentário  

Dia 19

thirst_park_chan_wook

Cheguei em casa tarde, perdi a manhã dormindo. Na tarde ensolarada em que eu “precisava” de uma cerveja gelada, tomei uma cerveja sem álcool Liber. A Liber é a única REALMENTE sem álcool, 0%. Deve ser por isto que eu achei HORRÍVEL. Não recomendo. Você não consegue nem deixar um colarinho! Prefiro beber mijo gelado. Um passeio pela Avenida Paulista e mais tarde um campeonato de dardos em casa com meus amigos Pablo e o Vagner. Depois fomos  assistir a um filme da Mostra Internacional de Cinema. Com tantas opções, usei o nome do diretor como critério de escolha. Vimos “Sede de Sangue”, do Park Chan-Wook.

Não é nenhum Oldboy, mas foi muito legal rever o estilo deste magnífico diretor. Recomendo!

Published in: on outubro 27, 2009 at 9:47 pm  Deixe um comentário  

Dia 18

lsddoorway

“Sensação de estar flutuando, tontura, formigamento na ponta dos dedos e ao redor da boca”. Sintomas de álcool? LSD?  Não! Hiperventilação. Overdose de oxigênio.

Uma coisa que me chamou atenção no documentário da BBC foi a pergunta sobre os motivos para beber. Obviamente as pessoas que bebem não procuram uma ressaca. Elas buscam uma sensação diferente. Será possível obter a sensação que o álcool dá sem precisar beber?

Na noite do dia 18 fui a um show da banda Fuzzfaces no Astronete. Obviamente foi uma coisa atípica, a minha primeira vez lá bebendo apenas suco de tomate temperado (que é delicioso e MUITO mais barato que os drinks alcoólicos). Resolvi fazer uma experiência comigo mesmo, tentar conseguir o efeito do álcool sem beber. Então tentei a hiperventilação, que consiste em respirar fundo seguidamente, deixando o sangue saturado de oxigênio. Isto provoca os sintomas citados acima. Executei isto algumas vezes durante a noite, e estou convencido de que fiquei “bêbado” mesmo. Mas o efeito passa rápido. Se quiser se manter “bêbado” precisa repetir a cada 10 minutos, umas 10 a 15 respirações fundas. Achei isto muito interessante.

A hiperventilação é parte do processo de Respiração Holotrópica, criado pelo Dr Stanislav Grof, conhecido por suas experiências com o LSD. Ele criou este método justamente como uma forma de se obter os efeitos agradáveis do LSD sem os efeitos colaterais negativos.

Ah, esqueci de mencionar. O show foi excelente, rock and roll classe A, recomendo!

Published in: on outubro 24, 2009 at 12:56 pm  Comments (2)  

Dia 17

OBSERVAÇÃO:  O post do dia 15 fala do documentário “Eu Bebo Demais?” da BBC. No meu texto eu reproduzi ENTRE ASPAS alguns trechos de diálogos do filme. Não entendo o porquê, mas algumas pessoas interpretaram errado e acharam que no item 3) eu estava falando algo sobre o meu pai. Não é nada disto, aquilo é uma fala do apresentador do documentário falando do pai DELE, que tinha problemas sérios com álcool.

Dia 17 foi um dia bastante ocupado, terminando com aula de Kung Fu e ensaio da banda logo em seguida. Ou seja, muita coisa aconteceu, mas não tive tempo de pensar em álcool, que é o motivo deste diário.

Published in: on outubro 24, 2009 at 11:57 am  Comments (2)  

Dia 16

abstract

Sem novidades. Sem palavras.

Published in: on outubro 22, 2009 at 1:10 pm  Comments (1)  

Dia 15

Horizon-Do-I-Drink-Too-Much-Cover

15 dias. Olhando apenas os números, podemos dizer que estou na metade do caminho para vencer meu desafio. Mas há três coisas que me fazem acreditar que não estou nos 50%:

  • Sinto que o pior já passou, então a sensação é que os próximos 15 dias serão mais fáceis que o primeiro período. Então é como se eu tivesse cumprido MAIS de 50%. Digamos, 70%.
  • Como me sinto mais forte, sinto que poderia estender o prazo e ficar mais dias sem beber. Digamos, 60 dias. Neste caso, estaria em 25%.
  • Meu desafio é ficar 30 dias sem beber. Então, ficar 29 dias sóbrio e beber no trigésimo é uma DERROTA. O desafio é do tipo TUDO ou NADA.

O Leo me indicou um EXCELENTE documentário da BBC produzido em 2009 chamado “Eu Bebo Demais?”. Em 1 hora eles analisam os efeitos do álcool no organismo, tendências para o alcoolismo, riscos envolvidos, a presença do álcool no nosso cotidiano e levantam algumas questões. Eu recomendo fortemente este filme.  Obrigado Leo! Seguem alguns trechos do filme para reflexão:

1) “Estou aqui há um minuto pensando sobre este teste de fígado que farei.  E me ocorre que por um lado pode estar tudo bem, mas por outro lado, se não estiver OK? Não sei se estou preparado isto. E sei que não estou preparado para o médico me falar que tenho que parar de beber. É um pensamento chocante.”

2) “Não acho que isto te atinge na hora o quão frequente você está bebendo e o quanto você está bebendo, até você tentar parar. E isto é o que aconteceu a mim, eu tentei parar.”

3) “O que começa a mudar lentamente é a quantidade que você precisa beber para obter o mesmo efeito. Um alcoólatra não é criado da noite pro dia.  Parece que leva anos de mudanças incrementais sutis. Isto é o que aconteceu no caso do meu pai. Mudanças ocorreram ao longo do tempo. A bebedeira dele foi ficando mais e mais intensa e constante e problemática. Ninguém se dispõe a ser um alcoólatra e ele certamente não o fez. Apenas aconteceu.”

O filme pode ser baixado via torrent e as legendas (em inglês) podem ser obtidas do site mvgoup.org.

Obs.: Iniciei um esforço para tradução das legendas para o português. Se você não entende inglês, aguarde até eu liberar a versão em português. Se você entende inglês e gostaria de ajudar na tradução, deixe um comentário aqui informando seu email (para sua segurança, o seu e-mail não será publicado) e eu entrarei em contato.

Published in: on outubro 21, 2009 at 8:59 am  Comments (2)  

Dia 14

arbeit

“Arbeit macht frei .”

O trabalho liberta. Quantas horas de trabalho, estudo e lazer nós perdemos devido a consequências do uso do álcool? Costuma-se dizer que tudo tem um preço, mas precisamos sempre analisar se isto vale a pena.

Sem ressaca e dormindo melhor temos mais tempo para ler algo interessante, trabalhar extra para aumentar a renda, dedicar mais tempo à família ou simplesmente PENSAR. Trabalhar para melhorar a qualidade de vida. Trabalhar para mudar algo no mundo.

Dia 14 foi mais um dia comum na vida de um homem LIVRE.

Published in: on outubro 20, 2009 at 9:39 am  Comments (6)  

Dia 13

lonely-drunk

O jantar e a conversa durou até umas 4 da manhã (perdemos 1 hora devido ao horário de verão), então passei a manhã dormindo.

Recebi a visita de um amigo que avistou minha quase terminada garrafa de Jack Daniels e disse: “esta garrafa está olhando para mim”. Percebi a mensagem e servi-lhe a última dose que restava. Jack Daniels é meu whisky favorito e antes de entregar o copo a ele cheirei o líquido. Aquele perfume é realmente agradável.

Fomos ao cinema assistir “Distrito 9”. Gostei do filme, apesar de não ser fã de aliens. Prefiro zumbis.

De volta à casa encontrei um artigo muito interessante sobre como largar o álcool (em inglês). Deste artigo encontrei outros links legais do mesmo cara:

Published in: on outubro 19, 2009 at 10:01 am  Deixe um comentário  

Dia 12

beer_p

Diniz me pediu uma análise do show das Velhas Virgens. Bem, pelo que eu vi o show foi muito bom, mas como eu não participei (dançar, pular, gritar), não estou certo se foi realmente bom. Ainda estou aprendendo a viver sem o álcool.

Acho que a cada dia fico mais forte em relação à tentação de beber. Resolvi aceitar um novo convite para o jantar+vinho com amigos. Antes, eu tive ensaio com a banda. Dentro da sala do estúdio, uma geladeira cheia de bebidas. Pela primeira vez em muito tempo eu consegui tocar sem beber. Tomei 2 latas de refrigerante. Depois tivemos problemas com o trânsito por causa de um jogo de futebol num estádio próximo e precisamos parar num bar para esperar o trânsito melhorar. Eles beberam cerveja e eu pela primeira vez na vida bebi uma cerveja sem álcool. Novas questões surgiram na cabeça. Cheguei no jantar um pouco atrasado, mas a tempo de provar a comida deliciosa e a sobremesa de bolo com sorvete (eu levei o sorvete).

Todos dizem que eu sou engraçado, principalmente quando bebo. Gosto de fazer piadas. Depois de uma piada que fiz alguém perguntou o que eu havia bebido. Pra mim foi como um elogio, pois eu estava conseguindo ser a mesma pessoa divertida, porém SEM o álcool.

Cheguei a dizer que quando os 30 dias acabassem eu ia organizar uma festa para comemorar. A festa começaria numa sexta-feira e iria até o outro dia. Na festa teríamos todas as bebidas que eu deixei de consumir no período.

Eu imaginei meus amigos chegando na sexta-feira à noite e bebendo comigo, comemorando, brindando, cantando, tocando violão, e todos bêbados saindo de minha casa à luz do dia do sábado.

Mas aquela imagem que eu havia feito da festa em minha mente  está desbotando…

Published in: on outubro 18, 2009 at 3:35 pm  Comments (4)  

Dia 11

inferno

Show das Velhas Virgens no Inferno. Este teste foi difícil. Um inferno. Mas eu passei. Uma noite com muito rock and roll e músicas falando de álcool e mulheres. Uma grande festa, feita para as pessoas ficarem bêbadas e alegres.

E eu na coca-cola e suco de tomate. Eu quase cedi, comecei a pensar que não valia a pena tanto esforço, que eu estava desperdiçando tempo com coisas inúteis e que se eu soubesse que iria morrer em 48 horas eu teria me arrependido de não ter bebido cervejas e tequilas. “Por que diabos eu falei 30 dias? 10 não seriam suficientes?” – pensei.

Acho que o que mais me segurou foi saber que tem dois ou três lendo isso aqui todo dia e esperando não encontrar “Dia 01” novamente. Gente fazendo a contagem regressiva e querendo saber como foi o enésimo dia.

Não sei se teria sido melhor ter ficado em casa em vez de ter ido ao show. Porque não consegui aproveitar a festa sem ter bebido algo.

Ignorância é Felicidade. Qual a vantagem de ser lúcido num mundo tão louco?

Published in: on outubro 17, 2009 at 5:05 am  Comments (5)  

Dia 10

wine

TRIMMM.
– Alô.
– Olá. Estava pensando em fazer algo, de repente um cinema. Já assistiu ao novo do Tarantino, “Bastardos Inglórios”?
– Já assisti. Sou fã do Tarantino, estava ansioso por este filme, adorei.
– Hmm… Então poderíamos fazer um daqueles jantares aqui em casa, chama o pessoal e…
– Só uma observação – eu não estou bebendo. Iniciei um desafio.
– Sério? Como é isto?
– Resolvi que vou ficar 30 dias sem beber. Fiz até um blog.
– …

Fim da conversa.

Gosto de vinhos e sempre tenho alguns em casa prontos para serem degustados. Há um grupo de amigos que costuma se reunir para cozinhar, beber vinho e conversar. Mas desta vez fiquei sem opções. OK, você pode pensar que bastaria eu ir e não beber. Mas não é esta a questão. O ritual é comida, conversa, vinho. Prefiro não ir. Sinto falta dos meus vinhos.

O cinema é um dos poucos lugares que conheço onde as pessoas não se divertem bebendo. Eu adoro cinema e faço questão de dar atenção total à tela. Nunca entendi o que há de interessante em namorar no cinema. Você senta ao lado da pessoa, mal dá pra abraçar. O cinema é confortável pra assistir filme, não pra namorar. Além disto, se eu beber precisarei ir ao banheiro em algum momento, e simplesmente ODEIO perder 1 minuto do filme.

Sem cinema e sem o vinho, aceitei o convite do amigo Vagner pra assistir a um DVD que ele havia acabado de comprar. Nunca havíamos ouvido falar daquele filme, e tivemos uma excelente surpresa ao assisti-lo. O filme é espetacular, e conta inclusive com o Takashi Miike fazendo uma ponta. O filme é “Ódio” (em japonês “Rinjin 13-gô” – a tradução correta seria “O Vizinho Número 13”), do Yasuo Inoue, o qual obviamente recomendo. Takashi Miike, pra quem não conhece, é um dos ÍDOLOS do Tarantino. E, claro, o ídolo do meu ídolo é também meu ídolo. Um filme do Miike que recomendo: “Viver ou Morrer”.

Em geral, acho que estou muito bem. Claro que lamento não poder tomar um vinho ou uma cerveja com amigos. Mas tudo tem um preço, e o que estou ganhando certamente vale a pena.

Published in: on outubro 16, 2009 at 10:23 am  Comments (2)  

Dia 09

mugcake

Flavio disse que meu travesseiro na foto do post anterior é feio (sim, a foto é do meu travesseiro mesmo). Mas foi ele que me deu a melhor noite dos últimos dias (o travesseiro, não o Flavio!). Finalmente consegui dormir bem, e o dia foi bastante proveitoso.

À noite, uma festa-jantar preparada pelo Gustavo. Estrogonofe de carne. Obviamente, antes, durante e depois do jantar, muito ÁLCOOL. Cervejas importadas, conhaque, vodka. E eu, como de costume, coca-cola e água. Descobri que um pouco de conhaque foi usado na receita da comida, mas acredito que durante o cozimento o álcool tenha evaporado completamente, então não atrapalhou minha “dieta”.

Houve quem tentasse me convencer a beber, chegaram a me dar um copo de cerveja gelada, mas recusei. Mas o mais engraçado da noite foi quando encontraram uma BRECHA LEGAL no meu desafio. Eu disse que passaria 30 DIAS sem beber. Ou seja, eu poderia beber à vontade À NOITE. Assim, eu poderia passar facilmente 200 dias sem beber! hahaha

Meu dia finalizou com um bolo de caneca. Este da foto não é o meu, porque só lembrei de tirar a foto depois que já havia comido o meu todo. Eu não teria uma caneca do Bob Esponja. Meu bolo foi na minha caneca predileta,  dos Ramones, que diz “Somebody Put Something In My Drink” (Alguém colocou algo na minha bebida).

Published in: on outubro 15, 2009 at 2:15 am  Deixe um comentário  

Dia 08

cama

De volta ao trabalho após o feriado, um dia comum. O sono me incomoda um pouco e meu rosto mostra o quanto estou cansado. Estou parecendo um bêbado acabado de chegar de um bar! Espero que hoje eu consiga dormir bem. Eu preciso disto.

Flávio me perguntou o que pretendo fazer depois desta missão terminar. Eu respondi imediatamente: beber algo. Mas ele disse que não se referia somente ao “dia seguinte”, mas se eu pretendia mudar algo em geral. Respondi dizendo que não sabia ainda o que ia acontecer, mas que certamente ALGO deveria mudar, pois as minhas experiências JÁ ESTÃO mudando algo em mim. Estão me dando uma nova visão, a visão de fora da ação. Numa festa, a pessoa chega bem e falando com gentileza. Então ela começa a beber, e falar mais alto, e rir mais, encontra alguma dificuldade pra andar e segurar coisas. E sai da festa parecendo um zumbi. Eu era esta pessoa. Eu sou esta pessoa. E na última festa que fui eu era não era ela, era apenas um espectador, assistindo essa pessoa se transformar. Não é a cena mais linda do mundo.

Algumas pessoas ficaram preocupadas porque demorei a postar o dia 06. Acharam que eu havia desistido e ficaram sob suspense. O período seguinte após estes 30 dias de “condicional” são suspense PRA MIM também. Quer descobrir o que vai acontecer? Fique ligado(a)!

Published in: on outubro 14, 2009 at 10:44 am  Comments (2)  

Dia 07

persuasionSegunda-feira com cara de domingo, pois é feriado.

Mais uma noite mal dormida, não sei se isso tem algo a ver com o fato de eu não estar mais bebendo. Mais um dia passado entre amigos, estávamos pensando no que fazer à tarde e foi sugerido um bar. Mas concordaram em trocar por um filme por causa da minha situação. Ótimo.

Depois do cinema e depois fui pegar o trem para ir visitar meu querido irmão, que mora Em Santo André, cidade vizinha. Antes de entrar na estação, passei numa pequena livraria para pegar um livro pra ler. Havia poucos em língua inglesa e escolhi um pela espessura e pela capa. Não queria algo muito grande. Logo mais no trem percebi o título do livro:  “Persuasão”, de Jane Austen. Talvez o destino esteja me pregando peças novamente. Mas depois de 20 páginas eu achei meio chato. De qualquer forma vou tentar ler mais e espero que melhore.

O dia pareceu-me curtíssimo. Isto é ótimo, pois indepentende disto marquei MAIS UM DIA.

Published in: on outubro 13, 2009 at 12:43 am  Comments (1)  

Dia 06

A manhã do domingo estava realmente quente, e como o Pinho havia dormido em minha casa, fomos caminhar, passamos na Praça da República, depois num shopping, depois na Livraria Cultura. Por volta das 3 da tarde nos separamos, pois ele iria almoçar com Waltinho enquanto eu ia me preparar para a festa do aniversário que iria mais tarde.

E este foi o meu maior desafio até agora. Na chegada já me ofereceram um copo de cerveja, o qual neguei tendo que ficar dando desculpas sobre minha recusa. Primeiro eu disse que não queria beber, depois acabei dizendo que estava fazedo um tratamento médico e não podia beber. Assim foi mais fácil me livrar das tentativas de me darem um copo de alguma coisa alcoólica.

O aniversário estava animado, churrasco, gente cantando e dançando. E eu assistindo àquilo como se fosse um filme. Consegui me divertir, mas meio que perdi o ritmo depois que a galera já estava alta. Virem um alien no lugar. Além de cerveja gelada, havia várias outras bebidas que eu gosto, inclusive tequila. Tomei um refrigerante mas como não gosto por ser muito doce, resolvi fazer pra mim mesmo um drink com limões, gelo e água.

Pela primeira vez em muito tempo voltei pra casa antes do último convidado, e dirigindo (coisa que não faço quando bebo).

Published in: on outubro 13, 2009 at 12:20 am  Deixe um comentário  

Dia 05

revista

Sábado, prova do encontro de amigos num boteco.

Resolvi organizar a bagunça em casa e tirei um tempo para anunciar coisas qu eu não uso mais. Transformar bagulho em dinheiro. Achei que meu dia ia ser tranquilo em casa, mas às 2 da tarde recebi a ligação de Walter dizendo que Pinho (também amigo de longas datas) estava na cidade e que eles estavam num bar. Claro que eu queria vê-los, me aprontei rapidamente e fui.

Passamos horas conversando, eles tomando chopp e eu apenas uma lata de refrigerante. Conversamos sobre diversas coisas, incluindo, claro, o meu desafio. Foi legal vê-los tranquilos e até apoiando totalmente o meu plano. De lá fui com o Pinho assistir ao novo do Tarantino, “Bastardos Inglórios”, que acabou por volta da meia-noite. De lá descemos a pé a Rua Augusta, meu território favorito de bares e baladas em direção ao Estadão, lanchonete tradicional da cidade onde bêbados vão finalizar a noite comendo algo.

Três coisas curiosas:

1) Não lembro a última vez que desci a Augusta para o Estadão completamente sóbrio
2) Não senti a menor vontade de beber
3) Na frente do Estadão tinha uma banca de revistas, e a primeira capa que eu vi foi numa revista sobre vegetarianismo. A matéria da capa era sobre ÁLCOOL. Alguém só pode estar de brincadeira comigo, né?

Passei no teste “reencontro de velhos amigos no boteco “.

Seguindo a dica do Diniz, tentarei usar uma imagem que represente cada dia. Hoje escolhi esta capa da revista.

Published in: on outubro 11, 2009 at 2:55 am  Comments (2)  

Dia 04

Quarto dia, sexta-feira.

Você seria meu amigo se eu não bebesse?

Antes de ir para a cama recebi mais um convite para um vinho e jazz na Vila Madalena. Eu podia ter ido curtir o jazz e tomar algo não-alcoólico, mas preferi ficar na segurança do lar.

No post anterior eu brinquei dizendo que não havia sonhado com canecas de cerveja etc. Mas na  noite do dia 3 para o dia 4 aconteceu. Estava numa festa de rua e recebi uma chamada no celular. Era Daniel, um dos que costumam pedalar comigo: “cara, estamos aqui pedalando e resolvemos dar uma passada num bar pra tomar umas cervejas. Se quiser, pegue sua bike e passe aqui!”. Ele tinha certeza de que eu iria, obviamente porque eu nunca disse não a um convite destes. Não lembro o que respondi, esta cena foi cortada (por que os “diretores” dos sonhos cortam cenas assim pelo meio?). Ao olhar no meio das pessoas, encontrei Marcio, um amigo que está morando em outra cidade. Chamei e ele ficou muito feliz em me ver, tanto que disparou: “Que bom te ver, vamos pegar uma CERVEJA pra conversar um pouco!”

“Cara, não estou bebendo” eu disse. Caretas. “O quê??? Que história é essa?”. “Pois é, cara, resolvi dar uma parada, 30 dias sem beber. Faltam 27 ainda”. A cena foi cortada de novo.

Acordei pensando e concluindo que todo o meu círculo social é alcoólico. A única exceção é o Giuliano, guitarrista da minha banda.

À noite eu estava pensativo e sem querer sair pra lugar algum, a vontade de tomar alguma coisa foi rapidamente aplacada com mais flexões. Desta vez foram 80, 4x 20 (estou ficando bom nisto!). Álvaro me ligou e resolveu me visitar. Não tinha mais cerveja na geladeira, apenas uma garrafa de vodka no freezer (já provou vodka “congelada”? É muito bom!). Coloquei 2 doses no copo baixo pra ele. Pra mim, num copo igual, duas doses de ÁGUA. Brinquei com ele pedindo-lhe para escolher. Engraçado como os dois copos, lado a lado, são idênticos. Mas a diferença entre eles é enorme.

Assistimos a um filme em DVD (“The Prestige”) e depois ficamos conversando sobre Tesla, experimentos de eletricidade, magnetismo, o moto contínuo e outras coisas.

E mais um dia se passou.

Published in: on outubro 10, 2009 at 11:41 am  Comments (3)  

Dia 03

Se droga fosse algo ruim, ninguém usaria. Usa-se porque, apesar dos prejuízos, obtêm-se algum benefício ou prazer. Tudo tem um preço. Tem gente que gosta de álcool,  de açúcar,  chocolate, frituras, pão. O preço a se pagar pelo excesso pode ser um fígado prejudicado, obesidade, colesterol, pressão alta. Mas todo mundo sabe desta história toda. Sabe também que precisamos fazer exercícios físicos regulares, dormir bem, evitar stress.

Eu não ingiro açúcar (a não ser associado em algum doce ou refrigerante que consumo eventualmente). Pedalo regularmente, vendi meu carro há três anos e ando bastante. Não como frituras, só uso azeite extra virgem. Como muitas frutas, saladas e vegetais em geral, bebo bastante água. Eu tenho algum crédito de saúde, talvez mais do que VOCÊ. Então antes de criticar quem gosta de beber, pense nos excessos que você comete com as drogas disfarçadas de COMIDA no seu dia-a-dia.

Estou muito bem hoje. Não, eu não sonhei com canecos de cerveja nem garrafas de whisky! Mas ainda faltam 27 dias.

O meu amigo Spencer achou legal a ideia do blog e divulgou no twitter dele. Esse é outro parceiro bom de cervejas e farras. O dia do lançamento do livro do Cury em São Paulo foi memorável.

Terminei meu dia com mais perguntas sobre os motivos deste desafio louco e conselhos sobre não ligar para a opinião dos outros. Mas o que eu quero é rever a minha sobre mim mesmo e mensurar o impacto do álcool (ou a falta dele) na minha vida.

Published in: on outubro 9, 2009 at 8:56 am  Comments (2)  

Dia 02

Fiquei um pouco confuso com minha própria decisão de chamar as primeiras 24 horas de “dia zero”.  Deve ter sido o efeito do álcool (brincadeirinha hehe). O terceiro período de 24 horas encerrou-se hoje às 3 da manhã, então então vou tentar ajustar os posts, escrevendo mais um ainda hoje, antes de dormir.

Recebi uma mensagem de “incentivo” do meu parceiro de cervejas e baladas Gustavo:
Screenshot-Gustavo

Valeu Gustavo  hahaha!

Acho que só a intenção radical de ficar sem beber NADA já dá uma vontade, de modo que cheguei em casa pensando nisto. Uma cervejinha só pra ficar leve para dormir não faz mal a ninguém. Mas, obviamente, não podia ceder. Tinha que ser forte. Lembrei-me dos filmes em que o cara é preso e despeja seu desejo de vingança em exercícios físicos. Resolvi então fazer umas flexões. Fiz 4 séries de 15.

Não beber também tem outras consequências, como mais dinheiro sobrando (já que não tenho despesas em bares) e mais tempo para PENSAR. E pensei bastante. Juntando pensamentos, excitação dos exercícios e a falta de algo que me ajudasse a adormecer, fui deitar às 3:30 da manhã.

Gustavo aproveitou pra divulgar o clip do filme que o irmão dele está produzindo, coincidentemente sobre alcoolismo.

Outras sugestões que recebi para as horas em que eu pensar em beber: café, chá, correr.

E uma observação: este diário é meu. Não pretendo provar nada a ninguém, exceto a mim mesmo. E talvez a mais uma pessoa.  Não me importo se acham que estou sendo radical, ou que isto tudo é uma besteira. Espero que realmente seja. Ao tornar o diário público, isto talvez ajude alguém que esteja passando pela mesma experiência. Por isto estou postando em duas línguas (você pode escolher a língua no menu ao lado, em Categorias).

Published in: on outubro 8, 2009 at 12:31 pm  Comments (3)  

Dia 01

Ei,o que você esperava aqui pra hoje? Eu chorando e dizendo que senti tremores etc? hahaha Não, acordei muito bem.
Sem muitas novidades. O problema maior ainda está por vir. Há um tempo venho me planejando para ir ao show da banda Velhas Virgens (cuidado ao abrir, site abre tocando som), que vai acontecer no próximo dia 16. Acho que este vai ser o meu maior desafio, já que o próprio líder canta bebendo e as letras falam de sexo, cervejas e mulheres!

Passei o dia recebendo convites alcoólicos. Um show de jazz hoje na Av Paulista, um vinho entre amigos, outro almoço no sábado, aniversário no domingo (segunda é feriado). Quando penso em qualquer um destes eventos, já me vem à cabeça o que combina com o quê: Jazz combina com whisky. Almoço combina com vinho antes e durante, e licor de creme de Amarula no final.  Aniversário me lembra cerveja. Realmente, pelo que parece, minha vida gira em torno de álcool. Ou seria o álcool que orbita em torno de mim?

Meu peso hoje: 69.7kg (153.7lb)

Published in: on outubro 7, 2009 at 8:29 pm  Comments (1)  

Dia 00

As primeiras 24 horas se encerram às 3 da manhã, por isso resolvi batizar este primeiro post como “Dia Zero”.

Ontem à noite teve ensaio da minha banda. Estamos tocando juntos há muito pouco tempo, mas resolvemos gravar pra ver como ficaria o som. Fico um pouco nervoso ao gravar, com medo de errar, e para ficar mais leve bebi algumas doses de vodka  (não gosto de coqueteis, prefiro as bebidas puras). Ao chegar em casa, encontrei alguns amigos e peguei a bicicleta pra ir comprar algumas cervejas. Então bebi cervejas e mais um pouco de vodka.

Acordei tarde e descobri que havia perdido uma reunião no trabalho. Um cuidado que sempre tive foi de não deixar minhas festas atrapalharem meu trabalho. Sei que cumpro meu dever bem, e o reconhecimento dos colegas e chefes prova que estou indo bem. Consegui compensar as 3 horas de trabalho perdidas trabalhando até mais tarde, porém nunca conseguirei recuperar a reunião que perdi.

Descobri também que falei e fiz coisas das quais não lembro.

Passei o dia ainda um pouco tonto do efeito do álcool, e só consegui sentir que estava livre dele por volta das 8 da noite. Apesar disto consegui resolver todas as pendências no trabalho. Há muito tempo não vomito nem tenho enjoos por causa de álcool. Isto é bom pois consigo beber muito e estar bem no dia seguinte, mas certamente é um indicativo de que o organismo se acostumou a ele, ou seja, que o álcool já está fazendo parte de mim. E isto não é bonito.

Desconfio que esta dieta “sem álcool” vai me fazer perder algum peso, então colocarei meu peso também. Hoje: 70.5 kg (155.4 libras).

Published in: on outubro 6, 2009 at 9:26 pm  Deixe um comentário  

Iniciando o desafio

Tenho 35 anos e bebo desde os 16. Adoro álcool, sinto-me bem bebendo. Sei que é uma droga que pode ser nociva ao meu organismo, mas também me traz uma sensação boa, me deixa menos tímido e é um ótimo recurso de integração social. Prefiro vinho, cerveja e whisky, mas também bebo tequila, vodka, cachaça e rum.

Alguém me falou a palavra alcoólatra, o que achei estranho. Afinal, alcolólatra é aquela pessoa que acorda de manhã e toma uma dose, eu nunca fiz isto! Mas alguns acontecimentos, principalmente nos últimos 12 meses me fizeram repensar sobre isto.

Uma vez, para provar que tinha tudo sob controle, disse que passaria uma semana sem beber álcool. E falhei. Não consegui. Quando me vi, estava com um copo na mão já no segundo dia.

Agora lanço a mim mesmo um novo desafio, ficar 30 dias sem beber e deixar registrada aqui neste blog a minha experiência. Será que consigo? Se quiser me acompanhar nesta jornada, fique à vontade.  Meu plano é escrever apenas um post a cada dia.

Published in: on outubro 6, 2009 at 8:57 pm  Comments (2)